Musculação na adolescência atrapalha no crescimento?

Vantagens-Da-Musculação-Na-Adolescência

Será que praticar a musculação desde novo é prejudicial ao crescimento ósseo?

Um adolescente simplesmente tem seu crescimento atrapalhado se realizar musculação? Mito? Verdade? Até que ponto a musculação interfere no crescimento?

Será que musculação para adolescentes ou crianças realmente pode interferir no crescimento? Isso é algo bom ou ruim?

O crescimento talvez seja o fenômeno do corpo humano mais estudado durante todo tempo. O homem sempre teve a curiosidade de saber os fatores que compunham e compõe o crescimento, o desenvolvimento, a mineração ó essa e a resistência que o corpo adquire com essas novas características. Muito se fala sobre musculação na adolescência e/ou infância e os possíveis males que a mesma pode trazer. Porém, nos últimos, digamos, 10 anos isso tem sido muito discutido e estudado, sendo muitos mitos jogados na lata do lixo.

O osso é um tecido rígido mineralizado que pode ser dividido em cortical (superficial) e trabecular. (profundo) e compõe cerca de 80% do esqueleto.
Assim, sabemos que o osso cresce por meio do sistema endócrino e de importantes hormônios e fatores de crescimento (GH, IGFs) através de uma estrutura em suas extremidades denominada epífise, a qual se consolida com o passar do tempo, impossibilitando o crescimento. Esse crescimento é tido como vertical. Já o crescimento em largura é feito através do tecido ósseo que recobre toda a estrutura dos ossos.

Com o decorrer da vida, os ossos passam por um processo chamado “remodelagem”, no qual confere densidade óssea e massa para o mesmo, conferindo assim resistência. E sabe-se que isso é extremamente derivado a compressões que acontecem nos ossos. Schultheis em 1991 já relatava a musculação como potente estimulante mecânico para esse fim.

Por fim, não podemos deixar de citar também a remodelagem que acontece vagarosamente, na maioria dos casos, durante a vida, reparando, por exemplo, lesões ou recompondo o tecido desgastado por impactos. ou seja, a ativação dos osteoclastos leva a reabsorção óssea e as ações dos osteoblastos reconstroem a matriz óssea, levando a nova mineralização do tecido.

E é durante a adolescência que temos maior ganho ósseo, na chamada fase de estirão, onde os hormônios estão realmente a flor da pele, em picos de atividade, gerando as mais diferenças modificações no indivíduo que, normalmente resultarão por toda sua vida. E esse crescimento é principalmente determinado pelas características genéticas herdadas (impossibilitando em condições normais de pais baixos com avós baixos, terem filhos altos, por exemplo). Em segundo e não menos importante, não podemos deixar de lado a dieta que, fornece substrato suficiente para que haja os diferentes tipos de material para que o crescimento ocorra normalmente, potencializando as características genéticas.

A força gravitacional (externa) e a contração muscular (interna) são duas forças mecânicas primárias aplicadas na estrutura óssea ao longo da vida desde o nascimento. Estas forças incidentes sobre o esqueleto induzem reestruturações ósseas específicas conforme suas intensidades, tanto no sentido longitudinal (vertical) quanto transversal (horizontal), sob a forma de tração, compressão, deslizamento ou torção. (USP, Revista Mackenze, SP). Desta forma, os exercícios aeróbios não possuem, nesse fator, a mesma vantagem de exercícios com compressão, como a musculação. Aliás, alguns estudos demonstram maior densidade óssea em fisiculturistas do que em atletas de outras modalidades como nadadores e corredores.

Comparando a musculatura esquelética então, com as células ósseas, podemos traçar um paralelo sobre o stress gerado nas mesmas e capacidade de recuperação e de refazer os tecidos danados pelo exercício ou pelo dia-a-dia. E isso também envolve plenamente o sistema endócrino, visto que o exercício físico também o estimula. Aliás, lembre-se que durante a atividade física até mesmo os níveis de GH tendem a ser maiores.

E, apesar dos estudos ainda serem relativamente novos, temos de concordar dos diferentes benefícios que a musculação adequada e prudente no caso de crianças, traz, além do crescimento, como força, desenvolvimento endócrino otimizado, melhoria no sistema cardiovascular, melhora na sensibilidade à insulina etc.

Fonte:http://dicasdemusculacao.org

Summary
Musculação na adolescência atrapalha no crescimento?
Article Name
Musculação na adolescência atrapalha no crescimento?
Description
Um adolescente simplesmente tem seu crescimento atrapalhado se realizar musculação? Mito? Verdade? Até que ponto a musculação interfere no crescimento?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *